Arquivo da tag: Conto

Liga Narrativa (Set – Preconceito): Pressa

Tema: Preconceito.
Título: Pressa.

Um jovem se encontra correndo numa manhã de sol da cidade. Corre como se sua vida dependesse disso. algumas pessoas estranham sua movimentação e se questionam sobre o tal “estranho no ninho”: Será que foge de alguém? Fez algo errado? É perigoso? Ele é daqui? Não parecia. Continuar lendo

Avalie isto:

Anúncios
Publicado em Liga Narrativa | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Liga Narrativa (Ago – Fim do Mundo): Fogo da Libertação

Tema: Fim do mundo.
Título: Fogo da Libertação.
Faltando poucos minutos para meia-noite, um líder tem aquela que seria a última conversa com seu grupo.

– Irmãos, é chegada a hora da partida. Finalmente encontraremos o Criador. Devemos deixar este mundo e habitar a Terra Prometida. Temo pelas almas daqueles que não compreenderam a verdade diante de seus olhos…

Humildemente, um dentre as dezenas de seguidores, questiona algo.

– Mestre, não há mesmo alguma forma de salvar os infiéis? Eles estão mesmos fadados a um destino tão triste?

– Irmãos, infelizmente, aos infiéis não resta mais salvação. Foi escolha deles. Quem negar a verdade estará perdido por todo o sempre. Não cabe a nós seu desfecho. Continuar lendo

Avalie isto:

Publicado em Liga Narrativa | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Liga Narrativa (Jul – Extintos): Memórias do Fim

Quase no fim do mês (novamente) trago mais um texto da Liga Narrativa. Este é mais curto que o anterior, foi escrito ontem e tem meu estilo subjetivo empregado. Abra sua mente e aprecie.

Tema: Extintos.
Título: Memórias do Fim.

Mais um dia a contar. Mais um dia a esquecer. Sinto falta das luzes, dos pássaros e das vozes. Tudo passou tão rápido, mal pude ver do que se tratava. Destino? Sorte? Restou apenas fúria. Mas qual fúria? O vento foi, voltou e tornou a partir. Se minha memória não falha, testemunhei os últimos caminharem. Caminharei por eles. Continuar lendo

Avalie isto:

Publicado em Liga Narrativa | Marcado com , , , , , | 1 Comentário

Rainha da Noite

Noite: seu palco, seu lar. Apoteose tempestiva. Ela vem com o luar, enganando-me, iludindo. Um olhar: prata empaladora, dor que já não fere tanto. Observo seus passos, seus vícios. Consome o que me resta de paz e embarga meu sono tranquilo. Pobre de mim que cedo aos seus caprichos. Tentadora, debochada, nociva. Continuar lendo

Avalie isto:

Publicado em Especial | Marcado com , , , , , | 11 Comentários