Mais três Coisas para se Dar Bem na Vida!

Para que vocês entendam como cheguei à conclusão que vou expor neste artigo, preciso revelar uma sequência de fatos responsáveis pela mesma.

Ultimamente tenho refletido muito, sobre mim, sobre as coisas da vida, as pessoas ao meu redor, a sociedade em geral, os valores que se perderam. E nessas reflexões vejo que 5 anos da minha vida se passaram. Nossa! Você já parou para pensar quantos anos da sua vida se foram a partir de um fato? No meu caso, esse acontecimento que representa o ponto de partida aconteceu em 2004 quando comecei a faculdade. Eu tinha 18 anos (daqui a pouco já tenho 24). Estava começando minha vida de universitária, não digo vida de adulta porque desde adolescente sempre tive as responsabilidades de quem viveu longe da mãe (doente da mente), com um pai de pensamento “quadrado” (encubação por já ter aprontado muito com as filhas dos outros quando adolescente) e uma irmã quase 6 anos mais nova para cuidar de tudo (estudos, higiene, alimentação, vestuário, etc.).

A vida de uma universitária era sonho real: eu trabalhava de dia e estudava a noite, ou seja, saia de casa cedinho e voltava à meia-noite. Fazia o que queria e, para todos em casa, eu estava trabalhando e estudando. Apesar dessa liberdade, a responsabilidade é uma coisa minha desde cedo. Todo esse “oba-oba” não me fazia matar aulas, porque queria muito minha independência, um futuro melhor e sabia que só seria possível com os estudos. E nem faltava ao emprego, pois precisava do dinheiro para os estudos. Mas quando estava de folga no trabalho saia como se fosse trabalhar e ia curtir a liberdade. Passeava com os amigos, fiquei com alguns, fui à praia, cinema, shopping, pizzaria, etc. Aos poucos conheci meu atual esposo e passei a dar esses perdidos com ele. Época boa. Curtimos bem.

Criança estudiosa

E eu sempre levei comigo a bandeira dos estudos. - "Só os estudos me darão um futuro melhor".

Todas essas lembranças boas não apagam as mais duras e difíceis da reta final da faculdade (um ano e meio me restavam para a formatura). Nesse período, eu saí da casa do meu pai e passei a morar com meu esposo. Perdi meu emprego, que já estava insuportável, e não consegui arrumar outro. Meu esposo trabalhava para não me deixar trancar a faculdade. Fome eu não passei, mas privações e dificuldades de todas as espécies passo até hoje, um ano depois de formada. Nos falta o conforto em casa (nossa casa nem é embolsada, por exemplo), a alimentação é restrita, compra de roupas, sapatos, etc. não fazem parte da nossa realidade. Cuidados com a saúde e exames de rotina também nem se fala (não tenho paciência de enfrentar as filas do SUS). Não consegui fazer um estágio remunerado. Dormia na casa de duas amigas para economizar passagem e etc… Finalmente consegui me formar e as expectativas pareciam melhores. Eram só alguns meses para pegar o diploma e o registro profissional no Conselho.

Esses meses passaram e peguei o registro. Finalmente estava habilitada para exercer a profissão de Fisioterapeuta e a dura realidade, com seus problemas que invadem nossas vidas outra vez. Oito meses de formação, sem emprego, com uma anuidade do Conselho de R$ 270,00 para pagar, mendigando atrás dos políticos da região… Descobri que para o mercado de trabalho só a graduação é muito pouco. É necessário ter cursos de extensão, pós-graduação pelo menos e ainda experiência profissional. Ora! Eu tenho experiência de estágios, acabei de me formar e se alguém não abrir a primeira porta, como terei experiência? Como trabalharei, ganharei meu dinheirinho e prosseguirei nos estudos? Ajuda financeira da família? Zero! Só pra constar!

Barreira

Toda hora tem uma barreira pra atrapalhar. Que ódio!

Depois de muito persistir, comecei a trabalhar no centro social de um vereador da região. Ganho um salário, mas não há nenhum direito trabalhista assegurado. Vejam vocês, com um diploma de graduação na mão tendo que me submeter a estas condições para sobreviver! Atender meus pacientes me faz bem. Ver que posso ajudar de alguma forma muita gente carente é uma das coisas que não me deixa desistir! Também comecei um trabalho voluntário num projeto que acontece próximo à minha casa. Assim, também me ocupo e produzo mais.

Hoje, após cinco anos, comparo as perspectivas que eu tinha e os novos conceitos adquiridos. Assim, cheguei a seguinte conclusão: não adianta só estudar. Para você se dar bem na vida precisa de mais 3 coisas:

1 – Um padrinho na profissão – Sem falsa modéstia, eu sempre fui a primeira aluna da sala, ganhei até bolsa na faculdade por isso. Nenhum professor meu poderia ter me indicado a um estágio remunerado ou ao primeiro emprego?! Olha que eu me relacionava muito bem com eles, e alguns mais chegados sabiam das minhas dificuldades e viam meus resultados acadêmicos apesar disso…

2 – Um padrinho político – Nossa! E como isso é importante! Vejo pessoas que não têm a menor qualificação para estarem em tal cargo, mas que não perdem o emprego por nada nesse mundo, por serem apadrinhadas pelo político x ou y. Vejo também pessoas sem qualificação, mas que querem fazer o melhor! Eu continuo discordando, pois conheço pessoas da própria localidade qualificadas, que trabalham muito e com amor. Mas quem está no cargo de chefia, que deveria ser seu por direito e méritos? A (o) afilhada (o) do político Fulano de Tal. E o seu bom trabalho passa despercebido aos olhos de muitos, mas se estas tivessem conhecimento político, isso aconteceria ao avesso literalmente…

3 – Um amigo advogado – Esse é importante para te defender perante a lei se algo do seu padrinho político der errado e você sobrar de “bucha” na sujeirada. Nesse caso, se você tem o estudo e a qualificação para estar ocupando o cargo isso te alivia um pouco (aqui está a importância do estudo!). Mas se você não tem, como esse amigo advogado vai ser importante!

Mentiroso

Tenha sempre um amigo advogado mas fique de olho.

Atualmente estou desacreditada de muitas coisas, mas não posso parar de lutar, pois nunca tive ninguém por mim. Devo continuar batalhando, porque nada cai do céu. Percebo que falta humildade e a vontade de ajudar o outro sem esperar nada em troca na maioria das pessoas ao meu redor e da sociedade em geral. O egoísmo reina! Onde e quando vamos parar!?

Anúncios
Esse post foi publicado em Outros e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Mais três Coisas para se Dar Bem na Vida!

  1. Kaks disse:

    Onde vamos parar?
    Bom, parabéns pela sua determinação e por ser quem você é apesar das dificuldades presentes!

    Curtir

  2. Maria Simone disse:

    Primeiramente desculpe pela demora em responder, mas é que eu estava sem vida social depois que entrei numa furada chamada “residência”…

    Quero agradecer seu comentário, gostei muito!

    E registrar: Eu fui no show do Guns and Roses na Praça da Apoteose – RJ domingo 04/04/10, PORRA!!! Abertura do show com Sebastian Bach! Muito FODA!!!!!

    Curtir

Sua Inquietação

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s